segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

sigo querendo

Tem um algo que me vem assim no meio de tudo, no meio do nada e me invade com a memória da cama de ontem. Faz um contorcer do meu corpo em busca do seu que não acho e a memória vem.

Carros passando ao lado e só consigo sentir você dentro de mim. Nem preciso fechar os olhos, mas fecho mesmo assim.

Fecho e te sinto por mais alguns segundos. Na espera que logo chegue outra memória.

Farol abre, o fluxo segue, e eu quase não acompanho. Estou, mas não estou… Olhos abertos para mim.

Nem temos nada, nossa cama ainda nem se encontrou poderosamente, talvez nunca se encontre. E seu sexo já me rodeia em memórias físicas. Chego a te sentir.

Fico querendo mais, mesmo sentindo que o encontro não virá. Sigo querendo mesmo só você. Você desajeitadamente em sua cama, na minha cama... Que não importa se um dia será algo outro.

Mais um tanto de caminhada às cegas e basta. Até a próxima.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

eu também não…

- O que você fazia mesmo quando a lavadora travava?
- Tem que abrir a portinha do lado direito pra liberar a água. Você já fez isso?
- Ainda não, não curto essa lambança de água…
- Mas tem que fazer Azul.
- É que ela não está parando logo de saída. Ela fica rodando, rodando, rodando... Depois de uns minutos ela pede água. Acho que o problema é outro. Mas beleza, vou tentar essa porra aí.

E lá se vão mais de cinco meses, de cuidados de um lado e do outro…
Presença em festa de aniversário…
Dengo por extração de ciso…
Jantar com sopa azteca pra matar a saudade do gostinho adquirido no México…
Cineminha com Woody Allen…
Massagem pra acabar com a dor de cabeça…
Uruguaio com entradinha de fígado mais Serramalte…

- Ainda não estou preparado para te ver com outro.
- Eu também não…

- Não estou preparada para o que estamos vivendo.
- Eu também não...

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

eu posso

eu posso

me entregar demais, de menos

amar demais, de menos

cobrar demais, de menos

sentir muito ciúme, pouco

querer entender, não querer

eu posso o que eu quiser

agradar a mim já é um desafio e tanto

e eu descobri que

eu posso

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

quero não querer saber

mais de mim sem você.
mais um mês e ainda não sei porque partimos. 
como nos perdemos.

e reli algumas cartas. pra ficar mais confusa, mais perdida, mais...

como me levantar dessa cama?
como encarar outro dia?
quero não sufocar.

e o pote de boas lembranças segue aguardando. já sem corpo pra este ano, e...

quero não querer saber.
quero não pensar em nós.
não estou sabendo viver.

e sinto cada vez menos, mas...

não posso mais.
não sei como voltar. 
não.